Animais domésticos curiosos que talvez que você não conheça


Quando se trata de animais domésticos, sempre vem à cabeça das pessoas os cães e gatos.

No entanto, o mundo animal é repleto de curiosidades com animais bem exóticos. Você já ouviu falar, por exemplo, do dragão barbudo? Ou quem sabe da corn snake. Não?

Então continue lendo este artigo e surpreenda-se. Mas, não esqueça, independente da espécie, faça sempre a consulta para animal exótico vertebrados.

Dragão barbudo

Originário da Austrália, o dragão barbudo, cientificamente chamado de pogona vitticeps é um lagarto, que vivem em locais secos e rochosos, escassos de vegetação.

Antes de atingir a fase adulta, costumam alimentar-se de insetos. No entanto, ao crescerem começam a comer bagas, flores e folhas.

Mas, atualmente é possível adquiri-los em lojas, sendo todos criados em cativeiro, pois, de acordo com as leis de proteção ambiental australianas, fica proibida a exportação dessas espécies nativas do território.

Esses animais vivem entre 7 e 12 anos, podendo atingir até 60 cm.

Embora, possa não parecer, o dragão barbudo é extremamente sociável e dócil, tolerando muito bem o convívio.

Quando adultos, costumam acomodar-se no ombro do dono, podendo fazer passeios.

Para lhe dar confiança, a melhor forma de pegar o animal é colocar suas mãos por baixo, transmitindo mais segurança para ele.

É muito importante fazer a consulta veterinária para dragão barbudo, assim, o médico veterinário irá passar muitas informações importantes, como por exemplo, sobre o aquecimento desses animais.

Como o habitat natural desses bichos é quente, é necessário simular em cativeiro, as condições naturais para a espécie.

Assim, durante o dia, a temperatura do terrário, o local em que eles ficam, deve estar entre 26.7°C e 28.9ºC.

Além disso, é importante, que em um dos cantos desse local, haja um foco de luz, para que o dragão receba mais calor.

Essa lâmpada deve estar entre 37.8°C e 40ºC. No entanto, do outro lado deve haver um esconderijo escuro e fresco, para quando ele quiser regular a temperatura.

Você pode colocar ainda, tapetes aquecidos como fonte de calor

Esses produtos possuem um lado macio e outro adesivo, aderindo ao fundo do terrário, pelo lado externo, emanando um confortável aquecimento.

Muitas pessoas, colocam as rochas aquecidas para fazer esse trabalho de aquecimento.

Mas, quando for, com seu animal, em uma consulta para animais exóticos, você provavelmente será informado sobre o risco desse equipamento.

Além da possibilidade de causar queimaduras, poderá ainda, dar choque elétrico no bicho.

Para preservar a saúde do animal, fique sempre atento para algumas dicas:

  • Mantenha suplemento de cálcio;
  • Dê banho morno, mantendo-o afastado de parasitas;
  • Mantenha o terrário sempre limpo;
  • Refresque-o por meio de borrifador.

Corn snake

A corn snake é uma espécie inofensiva de serpente, que vive comumente em milharais nos Estados Unidos, onde caçam ratos. Por isso, chama-se corn snake, que significa cobra do milho.

De acordo com veterinário para animais, a espécie adapta-se bem ao clima tropical do Brasil, vivendo entre 15 e 20 anos, com possibilidade de atingir até 1,5 metros.

A maioria possui coloração alaranjada com manchas vermelhas contornadas de preto. Mas, há quase 20 tipos com cores diferentes.

Para a boa digestão da corn, mantenha boa temperatura agradável. Até as 20 semanas, elas alimentam-se apenas a cada cinco ou sete dias.

Estando saudável, digere e defeca após três dias de ingestão da presa. Já em fase adulta, alimentam-se a cada 15 dias.

Ao fazer consulta veterinária para corn snake, você poderá ver que o terrário deverá ter capacidade de ao menos 90 litros, tendo segurança máxima, uma vez que essa espécie costuma escapar facilmente.

Além disso, você deve manter o local sempre limpo, evitando o surgimento de fungos e bactérias.

Já a temperatura desses ambientes, deve estar sempre entre, 25°C e 28°C.

Outra dica importante, é deixar um recipiente com água para que ela se hidrate e também se refresque, será bem comum que você a encontre lá dentro.

Agora que você sabe um pouquinho mais sobre esses animais exóticos, não esqueça de ter todos os cuidados, mantendo-os sempre sadios.

Nos casos apresentados, não esqueça de controlar bem a temperatura. Além disso, a alimentação deve ser sempre feita de maneira correta, evitando excessos ou desnutrição.

E não esqueça do mais importante: fazer a consulta para animais vertebrados. O médico veterinário é quem vai lhe orientar da melhor maneira.