Confira os motivos para adotar um vira-lata


Os vira-latas são citados também como SDR (Sem Raça Definida) e muitas vezes são negligenciados devido a preferência de muitas pessoas por determinadas raças ou pelo fato de ter uma raça, tanto para a aquisição, quanto para a adoção.

Por esse motivo, tanto gatos quanto cachorros que se enquadram neste cenário, compõem a maioria dos animais nas ruas e para a adoção.

Quando as pessoas decidem ter um animal, muitas vezes já definem o tipo, porém, é importante levar em consideração que adotar é um ato significativo, principalmente devido ao número de animais abandonados diariamente nas ruas, principalmente os vira-latas.

Ao estar aberto e não se restringir ao fator da raça, a ação pode se tornar ainda mais especial e pura, sendo determinada principalmente pela personalidade do animal, a sintonia e por amor.

Afinal, assim como qualquer outro cão ou gato, tudo o que um animal vira-lata almeja é um lar com amor e segurança.

Por mais que determinadas raças tenham suas particularidades, esses cães não devem ser negligenciados, pois também são capazes de serem companheiros, divertidos e transformar completamente o ambiente.

A distinção entre as raças só faz com que o número de animais desabrigados continue crescendo.

Algumas pessoas julgam que cães e gatos de determinadas raça são exclusivos e/ou diferenciados, porém, ao procurar por vira-latas, comumente é possível se deparar com exclusividade, afinal, esses cães são originados de tipos de cadeias genéticas que também os tornam distintos.

Não só os aspectos genéticos, como também as adversidades enfrentadas muitas vezes atribuem a esses cachorros maior resistência a doenças, entre outros aspectos.

Hoje em dia, diversas ongs e centros de adoção contam com plataformas online, onde é possível acessar o catálogo de animais prontos para adoção, com todas as informações que podem ser necessárias, tais como:

  • Porte;
  • Sexo;
  • Histórico;
  • Idade;
  • Características especiais;
  • Fotos.

É uma maneira de contribuir com uma maior acessibilidade ao meio de adoção. Além disso, também pode contribuir com a tomada de decisão das pessoas.

No entanto, caso exista dificuldade no processo, principalmente para escolher um animal ou saber o tipo, é interessante ter conhecimento de diversos locais contam com profissionais para realizar o direcionamento e prestar o suporte necessário.

Principais requisitos para a adoção

Para seguir com o processo de adoção, é interessante citar que há alguns requisitos a serem seguidos, por exemplo, ter idade superior a 21 anos ou estar acompanhado por um responsável.

Além disso, há locais que exigem um comprovante de residência, CPF e o RG. Naturalmente, os procedimentos podem variar de acordo com o local e por esse motivo, é muito importante sempre buscar informações.

É muito comum que em diversas organizações e centros de adoção, as pessoas interessadas sejam submetidas a entrevistas ou tenham que preencher questionários para que seja possível analisar se estão aptas para o processo de adoção, evitando assim devoluções ou futuros abandonos.

Entre as questões averiguadas, podem estar envolvidas a disponibilidade de tempo, espaço, o histórico com animais.

Se a estrutura é segura para o animal, por exemplo, em caso de gatos, se há telas, entre outros. Há locais que para potencializar os resultados, mantém um acompanhamento na adaptação do animal para garantir que tudo está ocorrendo de forma adequada.

A importância da paciência

Adotar requer que a pessoa seja flexivel e principalmente, paciente. Trata-se de um processo significativo, onde se proporciona um recomeço para um animal que foi abandonado, que é um grande problema, especialmente nos principais centros urbanos.

Por essa razão, quando a pessoa decide adotar, também é importante refletir sobre o que pode acontecer depois o processo.

Diversos animais ficam ansiosos, agressivos ou inseguros, tanto no caso dos gatos, quanto os cachorros. Uma alternativa muito recomendada é escolher um ambiente tranquilo e ter paciência para que ele se sinta confortável.

Caso a pessoa tenha outro ou outros animais, é interessante socializar o novo animal com cautela, em um ambiente neutro.

Além da importância de estimular pouco a pouco o animal no novo ambiente, é interessante também observar as suas reações.

Adotar não é um recomeço apenas para o animal, como também para quem adota. Por esse motivo, é preciso que exista comprometimento e responsabilidade, principalmente para que os resultados de tal ação sejam de fatos positivos.