Alimentação natural para pets: o que tutores precisam saber


Você sabia que o mercado pet é um dos que mais cresce no Brasil? Atualmente, possuímos mais animais do que crianças em nosso país. Com isso, surgem novas tendências e oportunidades de melhorarmos a qualidade de vida dos nossos animais. Por esse motivo, hoje vamos falar sobre a alimentação natural para pets, também conhecida como AN.

A alimentação natural para pets surgiu seguindo a mesma tendência dos humanos, que recentemente tem se voltado na busca de uma dieta menos industrializada e, consecutivamente, mais saudável.

Com isso, nascem empresas capazes de estruturar, vender pronto e até mesmo ensinar a montar uma dieta saudável e natural para os animais.

Cuidado com a confusão

A alimentação natural para pets de forma alguma significa dar a mesma comida dos tutores do pet. Muito menos as sobras que estão na geladeira.

Até porque, desta forma você estaria oferecendo menos nutrientes necessários e até mesmo inserindo sal em excesso na alimentação do pet, o que não é recomendado.

Assim como sair misturando alimentos a ração. Ao invés de auxiliar, você estaria prejudicando a saúde do seu amigo de quatro patas.

No entanto, a alimentação natural não é tão somente a oferta de grãos, proteínas e algumas verduras. Ela depende de alguns aspectos como porte do animal, histórico de saúde, entre outras coisas.

Quais alimentos podem ser utilizados na AN

Em geral, o grão que se busca utilizar na alimentação natural para pets é o arroz., podendo ser branco ou integral.

As proteínas são bem diversificadas, o que pode facilitar na adaptação do pet. São permitidas quase todas, como: frango, suína, bovina, peru, cordeiro e coelho.

O legal é que na parte de legumes há muitas opções a serem ofertadas. Como vagem, cenoura, abobrinha, aipim,  brócolis, abóbora, inhame, chuchu e batatas (inclusive a doce).

Também se faz importante saber quais são os alimentos contra indicados por serem tóxicos. São eles: cebola, alho, uvas, noz-moscada, açaí, uvas, chocolates e açúcares são expressamente proibidos.

Existem aqueles alimentos que não são perigosos na hora, mas que possuem um potencial tóxico, que com o consumo excessivo e em longo prazo podem trazer danos para a alimentação dos pets. São eles: pão de queijo, pizza, ossinhos de couro que possuem soda cáustica, pães e bisnagas.

E como você pode perceber, esses são alimentos de humanos. Então, a recomendação é não compartilhar seu alimento com o pet. Até porque, isso pode trazer problemas comportamentais e o animal entender que sempre que você estiver comendo, também é hora dele comer.

Especialistas: porque consultar?

Ainda seguindo os exemplos de nós humanos, não podemos esquecer que cada animal possui sua especificidade.

Alguns machos, outros fêmeas, filhotes, adultos ou idosos. Outros com tendências a doenças que são proveniente do tipo de raça, mas todos são diferentes.

Não podemos pegar uma dieta da internet e tentar introduzir para este animal. Por isso, a recomendação é que você consulte um especialista em nutrição pet.

Ele entenderá as necessidades do seu amigo e dirá qual será o melhor caminho para adaptação.

Além disso, também pode acompanhar o progresso e validar se o plano está sendo a melhor opção para o pet, se o animal está se adaptando e até mesmo, incluindo mudanças caso o sabor não o agrade, por exemplo.

Caso você decida fazer por si mesmo, pode acabar prejudicando o pet. Ofertando alimentos que não são ideais, em quantidades errôneas e não sabendo substituir de forma adequada.

Como falamos no início deste post, existem muitas empresas que são capazes de fazer este plano alimentar que trará muitos benefícios para seu pet.

Ração VS. Alimentação natural

Uma das principais vantagens da alimentação natural para pets é o benefício para o intestino, pois possuem mais probióticos e prebióticos.

Isso acontece devido ao fato da alimentação natural não conter os subprodutos, que são produtos rejeitados para a alimentação de humanos, o que pode conter em algumas rações.

Não entenda a ração como uma vilã, ela contém vários nutrientes e é equilibrada para seu pet. Entretanto, algumas marcas se utilizam de muitos conservantes, alimentos transgênicos, os subprodutos (que comentamos antes), e alguns destes podem ser cancerígenos.

O que também podemos pontuar é que as rações possuem menor percentual de água que os alimentos naturais, fazendo necessário com que seu pet ingira mais água.

Alguns benefícios da alimentação natural para pets

Além do que foi comentado, como a melhora da saúde intestinal, a alimentação natural beneficia em diversos aspectos, como: menor ingestão de água, resistência a doenças, fezes com menos odor e mais firmes, entre outros.

Procure um especialista em nutrição animal para introduzir a alimentação natural para pets. Assim como nós, a comida é o seu combustível e orientação é necessária.

Consulte um médico veterinário!

 

Este conteúdo foi escrito por Luana Girardi, do Pet Shop Control.