Por que adestrar o meu cachorro?


Nenhum cão nasce treinado: para que ele aprenda a não latir, a fazer suas necessidades no local correto e a não danificar móveis, é preciso saber como treinar cachorroEspecialistas ressaltam que esse é um processo contínuo, que mantém o animal calmo e disciplinado.

Contudo, ao adotar um amigo de quatro patas, há quem relute em adestrá-lo. Normalmente, há o temor de que a disciplina afaste pet e tutor, colocando-os em um pé de guerra constante.

Também existe um receio de que o treinamento mude a personalidade do cão, algo muito importante para o convívio dele com a família.

A boa notícia é que isso não procede: especialistas apontam que o adestramento traz benefícios tanto ao próprio animal quanto à família que o abriga. Aprenda mais a respeito disso a seguir:

Melhorar a convivência com a família

Normalmente, adestrar um cão envolve fazer um trabalho de punição ou recompensa. Por exemplo: quando ele fizer as necessidades fora do lugar, ele recebe um pequeno castigo, como um borrifo de água. Agora, quando ele as fizer no local especificado, ele recebe um pequeno mimo, como um petisco.

Ao longo do tempo, esse mecanismo faz com que o próprio cão tome consciência do que é permitido e proibido, servindo como uma espécie de educação básica a respeito de suas atitudes em casa. Isso pode ser usado para regular atitudes como:

  • Latir em excesso;

  • Atacar visitas;

  • Danificar móveis;

  • Fazer as necessidades no local correto.

O resultado disso é que, com o tempo, o cão não precisará mais de nenhum tipo de orientação. Consequentemente, ele não levará broncas, o que tornará o seu relacionamento com a família muito mais harmonioso.

Deixe o cão sozinho em casa sem preocupação

Por mais que isso não deva ser feito durante períodos muito longos, em alguns casos é preciso deixar o cão sozinho em casa durante algumas horas.

O problema é que isso causa uma dor de cabeça grande entre quem não tem um cachorro adestrado. Afinal, quando ele não é supervisionado, nada impede que ele roa os móveis ou destrua as almofadas.

Por outro lado, quem se preocupa com o treinamento do animal pode fazer isso sem maiores preocupações: quando ele já está educado, saberá que danificar a mobília é algo fora de cogitação. Consequentemente, é possível sair para trabalhar ou para fazer tarefas fora de casa sem maiores preocupações.

Fortaleça sua conexão com o animal

Dar broncas e aplicar pequenas punições é imprescindível para adestrar cachorro. Por conta disso, há quem tema que essa prática faça com que o animal veja os donos como um inimigo, prejudicando o seu relacionamento.

Entretanto, especialistas apontam que, na realidade, acontece justamente o contrário: adestrar o animal tende a fortalecer o vínculo entre tutor e pet. Afinal, os cães são animais de companhia há milênios, e treiná-los faz com que o traço do companheirismo se fortaleça.

Melhore a qualidade de vida do pet

Por mais que as broncas e os castigos sejam necessários para a educação do pet, eles geram tensão e stress no animal.

O princípio por trás do adestramento é justamente esse: o cão agirá de modo a evitar essas sensações, o que significa que ele deixará de ter ações que causem punições dos donos.

Contudo, quando ele não é adestrado, as brigas dos tutores serão constantes, sejam por fazer as necessidades no lugar errado ou por roer um móvel, por exemplo. Consequentemente, ele passará mais tempo estressado, o que tende a comprometer a sua qualidade de vida.

No fim das contas, é melhor prevenir do que remediar: por mais que treiná-lo dê trabalho, é esse é um investimento no próprio pet.

Evite atritos com vizinhos

Por motivos de segurança e comodidade, cada vez mais pessoas optam por viver em apartamentos ao invés de casas. Por conta disso, há uma procura cada vez maior por cães de pequeno porte e silenciosos, que se adaptam melhor à vida nesses locais.

Contudo, o fato de um raça ser mais adaptável a apartamentos não significa que o adestramento seja desnecessário: quando ele não for realizado, o animal será ruidoso e, até mesmo, agressivo, o que pode gerar problemas com os vizinhos e o síndico do edifício. Assim, fazer um treinamento adequado é fundamental para evitar esse tipo de atrito.